Pausa para prozear =)

23 dezembro, 2013

16 dezembro, 2013

4 Erros na Fotografia ( Bill Robbins)



' "Os fotógrafos sabem que é preciso um bom olho, prática e paciência para tirar o máximo proveito de cada momento", diz Bill Robbins, um fotógrafo publicitário premiado, diretor de cinema comercial e presidente atual programa de fotografia profissional no Brooks Institute, um fornecedor líder do ensino superior para o cinema, design gráfico e fotografia. "Seja você um fotógrafo profissional ou amador, é também sobre a tentativa de novas técnicas e experiências com tudo, desde a iluminação à composição."

Robbins oferece essas dicas para superar quatro erros de fotografia comuns e transformar qualquer foto em uma foto bem grande:

* No ponto focal. Pergunte a si mesmo esta simples pergunta antes de tirar uma foto: O que você tirar uma foto e por que? Sua resposta vai garantir que você capturar os elementos certos para o espectador a compreender facilmente sujeitos a fotografia e propósito. Menos é normalmente mais quando se trata de composição da foto. Por exemplo, se você estiver tomando uma foto de uma bela paisagem, o que é o principal ponto focal - é a formação rochosa do sol, ou ponte coberta? Você pode precisar se deslocar para mais perto de preencher o quadro com seu assunto e eliminar qualquer distração no fundo ou primeiro plano. Além disso, considere se virar para ver se há uma imagem mais interessante ou ponto focal em que direção.

* Muito ou pouco de luz. Obtendo a exposição certa - a quantidade de luz que passa através de sua lente da câmera - é fundamental para a captura de fotos mais nítidas. Se você está fotografando em um espaço mal iluminado ou em pé muito longe do seu assunto, sua foto pode ser insuficiente ou demasiado escuros. Soluções rápidas: Adicionar luz extra se você estiver dentro de casa, se aproximar de seu objeto, ou ajustar manualmente a velocidade do obturador da câmera a ser mais lento ou a abertura para uma abertura maior da lente, permitindo assim que mais luz. Quando há muita luz natural ou indoor, suas fotos podem parecer lavado ou ter sombras indesejáveis. Considere usar um flash para equilibrar a iluminação, passando o sujeito (ou você mesmo) para fora da luz mais brilhante, ou à espera de uma hora do dia quando a iluminação é melhor. Para fotos ao ar livre, dias nublados funcionar bem. Quando você adquirir o hábito de se concentrar a luz, você vai encontrar os melhores locais e horários para usar a luz para a sua vantagem.

* Sujeito centrado. As melhores fotos não podem ser perfeitamente centrada em seu quadro. Quando olho em qualquer oportunidade de foto, considere o tentou-e-verdadeira "regra dos terços". Como você está enquadrando sua foto, imagine duas verticais e duas linhas horizontais espaçadas uniformemente, criando uma grade de nove caixas retangulares. Experimente colocar o assunto principal perto dos pontos ao longo destas linhas ou quando as linhas se cruzam. Isso cria interesse mais visual do que centralizar o assunto. Em uma paisagem tiro, por exemplo, impede que o horizonte de aparecer para dividir a imagem na meia. Em vez disso, o horizonte pode aparecer no terço inferior da foto. Você também pode considerar enquadrar a imagem de uma posição diferente ao invés de sempre atirando ao nível dos olhos. Com câmeras digitais, é fácil de experimentar e ser criativo com sua composição.

* Red-eye. Este é um dos mais comuns - problemas com fotos - e irritante. De olhos vermelhos é causado pelo flash refletindo retina da pessoa, no qual os vasos sanguíneos causar o brilho vermelho. A solução mais fácil é para desligar o flash. Você também pode ativar o recurso de redução de olhos vermelhos em muitas câmeras digitais, ou, se o flash é necessário, solicitar ao sujeito para evitar olhar diretamente para a lente da câmera.'

09 dezembro, 2013

Felicidade nos detalhes

Apesar de eu me chatear por algumas coisas nao sairem do jeito que eu gostaria, sinto-me feliz!
Nao consigo ficar muito tempo de mal com o mundo, acabo me entregando as melhores coisas que me tocam, como por exemplo, o sorriso do meu amor... descobri a muito que felicidade encaixo facil.

02 dezembro, 2013

Andei, andei...

Pois eh, "nao corro mais, cada passo que eu dou, me leva" e o problema eh:
Pra onde?






Nao entendendo nada...

Vou tentar descrever a minha sensação, imagine-se sendo uma personagem de um filme de ficção cientifica, daqueles bem  'trash'. Lembrei-me de 'Barbarella' agora, quase isso.

28 novembro, 2013

Sou tri!!!!


Flamenguista felizerrima!!!! Ainda com a ressaca da vitoria da Copa Brasil, agora serah rumo a Libertadores! 
                                                  
                                                                           



21 novembro, 2013

E falando em idiotices...


Ouvir, ver e ler absurdos nas midias estah cada vez mais comum. Tem de tudo que eh grotesco, imune e bem servido no mundo humano:  crueldades, corruptores, corruptíveis...  sem falar nas bizarrices  de rede sociais .
A sensação de que progressos nao estao passando de engodos eh cada vez mais forte pra mim, quando a noção que tenho eh, na verdade, que estamos andando para tras. Digo ateh mesmo em questão da nossa língua e convivência sadia. Sao os tempos decadentes do 'politicamente correto'.
A visao das pessoas anda confusa, embassada... onde valores se invertem e tudo precisa ser vantajoso. Quantos transformaram-se em 'pobres coitados' desvalorizando o real pobre coitado, enquanto larápios e prófugos oportunistas se fazem.
Todos reclamam, mas ninguem quer ser o primeiro passo. Todos tem ideia, mas eh raro a coragem de contradizer a massa. Estamos desaprendendo ou nos acomodando a nao questionar, a nao lutar pelo que acredita e sim pelo que o outro diz que tem que lutar, que eh preciso acreditar... nao sei, nao vejo com bons olhos o 'daqui pra frente', embora eu seja esperançosa e bem lah no fundo , tenha uma fezinha sobrevivente em que algo possa melhorar, mas nao a ponto de ver luz em fim de tunel que nao quero ser mais uma vez atropelada, jah chega o quanto somos todos os dias com tais absurdos.



20 novembro, 2013

Reciclando-me

Aqueles dias em que nao estah com saco para gente medrosa, gente ingrata e gente fazendo 'tipo'.
Gosto muito de repensar sobre as coisas, principalmente, sobre as que nao estao cabendo. Tenho a infeliz necessidade de ser solidaria, de querer estar junto, de tentar fazer minha parte, melhorar, jogar pra cima. Nao sou tao insegura, a ponto de ver o outro como concorrente de qualquer coisa, mas como alguem que faz parte de um mesmo barco chamado planeta, onde cada um tem seu espaço. Sempre tive essa estupida mania de dar força para o outro, mesmo cansada de saber que o outro nao se toca, que somente vai enxergar o proprio ego e que eh ignorante de etica. Cansei de gostar de estar sempre 'as ordens', enquanto nas raras vezes que preciso de alguem, nao dispor da mesma companhia que eu seria. A mania de exigir o que eu faria por alguem eh tambem insana. Minha sorte, eh eu achar na maioria das vezes, que me basto.
Fico olhando o vento pela janela, louca para pegar uma carona nele e sair por aih vagando e acabando em algum lugar diferente, quem sabe sem gente , no meio a um laranjal, adoro o cheiro que emana da flor de laranjeira, refresca a alma.
Vou sair, pegar  esse vento no rosto, deixa-lo soprar as feridas, curar minha alma.
Dando-me um tempo. Desvencilhar-me do nocivo, selecionar quem importa e que realmente se importa.Parar de valorizar quem nao tah nem aih, sem falar nas pessoas nao mais que idiotas.
Hoje eh o dia que resolvi mandar as velhas manias as favas! Descartar o inútil e de reconhecer que preciso parar de juntar lixo.

12 novembro, 2013

Feriadao a vista!

Feriado que nao sei se chegou em boa hora, mas de qualquer maneira, muito ben-vindo. Semana em que junta a  Proclamacao da Republica com o aniversario de Cabo Frio, feriado que toma praticamente a semana inteira. Cogitei em ir para o Rio, mas a minha necessidade nesse momento seria mesmo o po da estrada e muita natureza. A delicia de acompanhar o ceu mudando de cor num horizonte sem fim . Nao adianta, tenho sangue cigano, alma andarilha, preciso estar em movimento. A minha unica preocupação, eh com o mais recente morador dessa casa, um gatinho solar que encontrei e me adotou. Nesse momento, mordendo meu short. Fico com pena de deixa-lo assim tao pequeno, sozinho por muito tempo. O pe na estrada teria que ser curto.
Ficar sempre num mesmo lugar eh apatico pra mim, me 'emburrece' e se tratando de cidade pequena, eh mais apatico ainda, sinto-me compactada...rss... Gosto do que excita, de horizonte aberto e nao de me sentir como se num vidro arrolhado, fico sem ar.   O fato de trabalhar em casa, sobrecarrega devido a dar conta da casa e do trabalho, mas ajuda a construir um proprio ritmo, eh um dos lados bons... fico ate pensando se nao vale a instabilidade de ser freelancer, so para controlar a propria vida.

Estou algum tempo sem pegar a estrada do jeito que gosto, sem destino certo, eh bom para dar aquela respirada profunda, uma repensada...
 A minha mania de agarrar mais de uma coisa ao mesmo tempo, as vezes me enrola e sobrecarrega, por isso, dei um basta nisso. Nao me deixo mais estressar, entao, nada melhor que pegar uma estrada, dar um tempo para mim mesma, eu e a vida, lado a lado.

30 outubro, 2013

Ano do centenario de Robert Capa


No ultimo dia 22 desse mes de outubro, Robert Capa, um importante fotografo de guerra, faria cem anos. Nascido em Budapeste, na Hungria, em 1913 com o nome de Endre Ernö Friedmann. Fã do ator Robert Taylor e do diretor Frank Capra, o jovem judeu húngarouniu-os em seu nome fictício. Capa registrou fatos importantes da  historia, como os mais importantes conflitos da primeira metade do século XX: a Guerra Civil Espanhola, a Segunda Guerra Sino-Japonesa, a Segunda Guerra Mundial na Europa (em Londres, na Itália, a Batalha da Normandia em Omaha Beach, e a liberação de Paris), no Norte da África, a Guerra árabe-israelense de 1948 e a Primeira Guerra da Indochina
*Para saber mais no Wikipedia

Robert Capa nos deixou um precioso legado que fascina historiadoes e fotografos.Um fotografo que "reinventou" as guerras do século XX fotografando de perto a barbárie do campo da batalha, dando rosto e expressão ao sofrimento. Costumava dizer que, se uma foto não ficava boa, era sinal de que o fotógrafo não havia chegado suficientemente perto do acontecimento. Em toda a história da fotografia, ninguém levou a máxima tão ao pé da letra quanto ele. 

Capa tinha técnica, percepção e preocupação com o equilíbrio estético da imagem suficientes para fazê-lo figurar no panteão dos raros fotógrafos que tornaram seu metiê uma arte. O próprio Capa, no entanto, não ligava muito para isso. "Quem se considera artista não consegue trabalho. Considere-se um fotojornalista e, então, faça aquilo que quiser", aconselhou ele ao amigo Cartier-Bresson, que disputa com ele o posto de maior fotógrafo do século XX.

Na definição do escritor e amigo John Steinbeck, Capa "mostrava o horror de todo um povo no rosto de uma criança". O fotógrafo Henri Cartier-Bresson, ao lado de quem Capa fundou a legendária agência Magnum, em 1947, lamentou a fatalidade que o atingiu "em plena glória", aos 40 anos. Robert Capa morreu na Guerra da Indochina, em 25 de maio de 1954, ao pisar sobre uma mina terrestre. Seu corpo foi encontrado com as pernas dilaceradas. A câmera permanecia entre suas mãos.
A melhor produção desse homem, a quem ninguém recusa o posto de maior fotógrafo de guerra de todos os tempos, que está impressa no livro 'Robert Capa – Fotografias'(Cosac & Naify; 191 páginas; 78 reais). Organizado pelo biógrafo Richard Whelan e por Cornell Capa, irmão do fotógrafo, o livro abre com fotos de uma conferência do revolucionário russo Leon Trotsky feitas na Dinamarca, quando Capa ainda era um frangote de 19 anos. Na última página estampa a imagem de soldados franceses caminhando por uma estrada na Indochina, em 25 de maio de 1954. Minutos depois de bater essa chapa, a tal fatalidade aconteceu.


                                     Livro com o melhor da produção do fotógrafo húngaro Robert Capa

Entre guerras, Robert Capa teve uma vida de novela. No fim dos anos 40, com a reputação firmada e Paris ressurgindo, passava as tardes no jóquei, as noites em boates com lindas mulheres e as férias esquiando na Suíça. Era amigo dos escritores Ernest Hemingway, William Faulkner e Truman Capote, dos pintores Pablo Picasso e Henri Matisse, do cineasta John Huston e do ator-dançarino Gene Kelly, todos eles retratados em magníficas fotos no livro. Em 1945, no lobby do hotel Ritz, ele conheceu a atriz sueca Ingrid Bergman, ali hospedada para fazer um show para os soldados aliados. Ingrid, provavelmente a mulher mais linda do mundo na época, viveu com o fotógrafo bonitão um caso que durou dois anos. 



 Uma recente descoberta de uma gravação perdida,de uma entrevista de rádio apenas conhecido como: "Bob Capa Tells of Photographic Experiences Abroad" (" Bob Capa fala de fotográficos de Experiências no Exterior"),foi transmitido em 20 de outubro de 1947 numa radio. A entrevista foi parte das relações com a imprensa em torno da publicação de 'Slightly Out of Focus' ('Ligeiramente fora de foco'), seu romance autobiográfico narrando suas aventuras durante a Segunda Guerra Mundial, publicado pela Henry Holt and Company naquele ano.


Conforme fonte, 'terminados os eventos da Guerra Civil Espanhola, Robert Capa passa a morar em New York afim de evitar a perseguição devido a suas origens judaicas, mas logo é chamado para cobrir a Segunda Guerra Mundial. Fotografa a invasão do exército americano a uma base alemã estrategicamente localizada na Sicília, em 1943, e no ano seguinte cobriria o Dia D, um dos eventos mais importantes da Segunda Guerra Mundial, na Praia de Omaha. Infelizmente a maior parte das fotografias – cerca de 100 – se perdeu em um laboratório fotográfico em Londres, restando apenas 11 fotos – que são chamadas As Onze Magníficas.'

Robert deu nome a uma das premiações fotográficas mais importantes do mundo, a ' Robert Capa Gold Medal', que exige coragem excepcional e empresarial". Ele é concedido anualmente pelo 'Overseas Press Club of America' ( OPC). A primeira medalha de ouro Robert Capa foi concedido em 1955 a Howard Sochurek. Veja seus vencedores




Em 1947, a viagem do escritor americano John Steinbeck e do fotógrafo húngaro Robert Capa pela União Soviética rendeu um dos relatos mais reveladoressobre a vida do outro lado da Cortina de Ferro.

 'Em 1946, o ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill anunciava que uma “cortina de ferro” descera sobre o Leste Europeu. Antes aliados, soviéticos e americanos tornaram-se mutuamente assustadores. De parte a parte, as notícias eram desencontradas. Nos Estados Unidos, muito se falava sobre a Rússia, sua política, seus líderes, mas nada sobre as pessoas. Como viviam? Como reconstruíam o país? O que comiam no jantar? O que achavam dos americanos? Para responder, John Steinbeck, autor de clássicos da literatura americana, como 'As Vinhas da Ira', e o fotógrafo Robert Capa, partiram numa aventura impensável naqueles primeiros dias do que mais tarde viria a ser chamado de Guerra Fria: 'viajar pela União Soviética e registrar em textos e imagens a vida do povo russo.'





Tudo isso estará no longa-metragem “Close enough”, já em produção. Com direção de Paul Andrew Williams, o filme trará Tom Hiddleston, o Loki de “Os Vingadores” (2012), no papel do húngaro Capa.
Na epoca que fotografou o revolucionário russo Leon Trotsky durante um discurso dele na Dinamarca em 1932, ele vivia na Alemanha, para onde se mudou aos 18 anos, e começou a namorar a fotógrafa Gerda Taro (1910-1937), sua primeira paixão, reconstituída em tom de folhetim no roteiro do filme “Close enough”. A atriz inglesa Hayley Atwell (“O sonho de Cassandra”) viverá Gerda no longa estrelado por Tom Hiddleston.

Seu irmão, Cornell Capa, após a morte de Robert, passou a cuidar de seu legado. 
O 'International Center of Photography' (ICP), fundada nos anos 70 por Cornell Capa, irmão do fotógrafo, fica localizado no coração de Nova York. Eh a principal instituição do mundo dedicada à prática e compreensão da fotografia e da imagem reproduzida em todas as suas formas. Oferecendo um grande e precioso acervo, eh um centro onde fotógrafos e artistas , estudantes e estudiosos podem criar e interpretar o mundo da imagem. O Museu do Centro Internacional de Fotografia é dedicado a explorar as possibilidades da fotografia.
Visite seu SITE e acervos de Robert Capa


Fontes pesquisadas: wikipedia; http://www.icp.org;veja.abril.com.br;guiadoestudante.abril.com.br; http://oglobo.globo.com/cultura/eventos-celebram-centenario-de-robert-capa-icone-entre-os-fotografos-de-guerra-8782213#ixzz2jCt4i5cF//50mm.rodrigorigotti.com/;http://www.fotoastur.com

21 outubro, 2013

Decidida

A voltar  para aquela minha boa e velha filosofia, que eh nas ondas do mar que se renova as energias ;)
Mais que repensado e reorganizada =) Nao contento-me em ser uma soh, mas de ter apenas uma personalidade e nao permito-me desistir do que sou.
E assim vou eu, sendo... levando as 'minhas vidas' paralelamente e conquistando meu caminho, desde que nao passe os meus dias soh trabalhando e nao vivendo ou revivendo. Nao me vejo sentada e deprimida, olhando a vida pela janela ou atraves de sonhos idos.

17 outubro, 2013

Quem sabe seja amor

Pensamento solto que me veio: Seguindo precisando reaprender a amar, aprendendo a esquecer.



Carta de Amor

"Essa não é mais uma carta de amor 
São pensamentos soltos traduzidos em palavras 
Pra que você possa entender 
O que eu também não entendo 

Amar não é ter que ter sempre certeza 
É aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém 
É poder ser você mesmo e não precisar fingir 
É tentar esquecer e não conseguir fugir, fugir 

Já pensei em te largar 
Já olhei tantas vezes pro lado 
Mas quando penso em alguém é por você que fecho os olhos 
Sei que nunca fui perfeito mas com você eu posso ser 
Até eu mesmo que você vai entender 

Posso brincar de descobrir desenho em nuvens 
Posso contar meus pesadelos e até minhas coisas fúteis 
Posso tirar a tua roupa 
Posso fazer o que eu quiser 
Posso perder o juízo 
Mas com você eu tô tranquilo, tranquilo 

Agora o que vamos fazer, eu também não sei 
Afinal, será que amar é mesmo tudo? 
Se isso não é amor, o que mais pode ser? 
Estou aprendendo também"

Gratidão pela vida, simples assim! (Video legendado)

 Sao pequenos grandes detalhes como esses, que me movem e ao mesmo tempo, me fazem firmar meus pes nessa terra e sentir a vida percorrer.




'Sinceruicida'

Sinceramente, nao to mais pra gente que nao se entende nao. Gente que ora ta de um jeito, ora de outro...  Fala, nao fala...  ve cabelo em ovo... esquisitice e falta de noção tem limite. Com todas as minhas imperfeições  e tombos, busco estar sempre pra cima pelo simples fato de eu amar gratuitamente e genuinamente o que soa vida. Nao sou muito de gente viciada em fazer drama, de se fazer de coitadinha... de cismar em se achar menor ou maior... gente que gosta de estar complicada . E nao me venha com o 'cliche' coringa de ' faz parte de ser humano',  o que faz parte de ser humano eh usufruir do raciocínio, refletir, retificar... nao justificar erro e sentar nele, isso eh burrice. Defeitos também tem limite...rss. Qual eh!!! A vida eh frisson, nao eh pra ser vivida de 'lenga lenga', 'ai...ai' ou 'como sou injustiçada(o)'... vai pegar uma onda, vai curtir a natureza, mas nao eh soh pra postar em facebook nao, vai viver nem que seja por pouco tempo, ja eh valido. Medite. Arriscar-se a ser forte, eh mil vezes melhor do que o mundinho seguro das 'chorumelas'. Sempre imagino, que em outros tempos, quando estes seres precisassem ir pra guerra defender honra ou sei lah o que? Nao enfrentaria nem o cavalo pra montar...rss. Felizes deles que os tempos sao outros, o que tambem nao justifica tanto 'nhemnhenhem' e tamanhas 'quizilas'. 
Educação e suavidade nunca impediu alguem de ser alguem forte, ter atitude. Ja vi muita gente metida a valente sem 'culhao' e apatica, em politica entao, nem se fala...rs
Contesta-se muito e com toda razao, da falta de honestidade, soh que nao eh apenas no nojo dessa politica que se ve , mas tambem, na hipocrisia das pessoas, muitas nao sao honestas nem com elas mesmas...
E nada honesto, eh cantar vitoria de jeito facil. 
Eh isso, cansei disso. Cansei de gente que nao toma atitude, que nao tenta resolver, nao se resolve, que morre de pena de si mesma(o) e acha que tem os piores problemas porque o mundo ta no proprio umbigo.
Os problemas tao aih pra todos e com certeza, sempre vao ter os piores que os nossos, o jeito eh : peitar o que vier pela frente. Ninguem cresce tendo pena de si, soh vai enxergar o que precisa para alimentar ou aliviar o peso dessa pena.
Quer saber? fraqueza eh uma coisa e gente fraca eh outra. 
Fraqueza nao eh vergonha, a vergonha eh se acomodar nela, eh ilustra-la todo o dia e por numa prateleira bem alta para lembrar sempre de ter pena de si mesma(o). 
Essa moda de ser infeliz, quem eh piora e quem nao eh faz fita para estar 'in'... bom, como energia atrai energia, quero estar como gosto, fora de moda. Eh assim que gosto, no meu proprio estilo e procurando me sintonizar com coisas boas da vida.
O que me mata numa pessoa eh a falta de atitude. Pra mim, gente que se faz de muito... sei lah como se diz, sem muita ação, nao tem sal, nao tem suingue, nao tem personalidade, nao segura onda, nao assume,  nao dah nem tesao pra dizer a verdade.
Caso Darwin tenha razao, esses aih estao 'fu' e mal pagos. 

E piora quando alem de choramingar, distorce a vida, sendo capaz de delirar por aih. Gente que ve a vida muito romantizada tem problema com a realidade. Acho que fantasiar chega a ser inofensivo , o problema eh quando acredita piamente nas proprias fantasias Oo... tem casos que melhor seria internar...rss 


Estou assim, rebelde e com causa...rs , revoltada com certas coisas e com tanta falta de senso. 


Pronto! bem melhor ;) 

16 outubro, 2013

Esse passado que me faz parte

O passado quando nao condena, salva. As vezes, simplesmente com o gosto bom dos dias bem vividos ou com lições, nao levando aos mesmos erros.
De uma certa forma, orgulho-me do meu passado, acho que eu nao seria o que sou hoje,nem suportaria os tombos da vida, nao fosse ele. Digo que valeu com todos os seus erros e acertos. Nao sei se o que tinha que ser, era realmente pra ter sido...  ou apenas por eu nao ter entendido os sinais... Talvez, fossem pra ser, apenas os inevitáveis... Quem sabe, o que fosse melhor para ser... 

Existem coisas, confesso, que se for remexer, me passa descendo como uma dose rascante de whisky cowboy em jejum. Coisas que fiquei um tempo sem entender, mas que depois percebi uma coisa, que ainda perco tempo pensando nisso, talvez, pelas incertezas. Logo eu, que gosto de viver de certezas.
Uma delas eh que ha coisas ou pessoas que o melhor, eh deixar ir. Insistir em algo nao correspondido pra que? 'Tampar sol com a peneira' nunca foi do meu feitio, muito menos, espernear, fazer da vida o 'rebu' e outros dramalhões, querer segurar como for ... gosto muito de mim para apelar para certos desesperos. Existem coisas que nao se força a barra. 
Nem 'curto' a ideia de domesticar um homem como tanto vejo. Alem disso, homem que se deixa ser domesticado, eh decepcionante e nao faz meu tipo.
Ainda vejo mulheres capazes de qualquer coisa a fim de segurar um homem, so para chama-lo de seu e homens que nunca sabem o que querem. 
 Essa ideia de alguem se sentir com posse sobre alguem, dominar alguem... acho isso tudo abominável, castrador. Arrancar a liberdade de alguem ser, devia ser crime inafiançável...rss pois acho hediondo.

Penso que quando voce marca a vida de uma pessoa ou vice-versa, mesmo depois de anos, que venham a ter outros amores, que durmam com outras pessoas, ateh mesmo, que possam vir a fazer a vida com outras pessoas... e mesmo que nao queiram, mais cedo ou mais tarde, nao terah como fugir. E nao importa tempo longo, tempo ruim ou bom... 
Pois nao tem como se tomar o lugar de outra pessoa, nem por uma outra pessoa no lugar... afinal, com cada pessoa eh uma historia, cada pessoa tem um jeito de sorrir, um jeito de dar força, um jeito de ser...Principalmente, quando se trata de historias insubstituíveis...
Eu desfiz e refiz o meu destino, consequentemente, acabei mudando os de outras pessoas... praticamente, dei meu destino a outra pessoa.
Quem sabe, se eu deixasse acontecer do jeito que estava escrito, esse algo  inquietante nao existisse mais... A razao de eu ter querido me libertar desse amor o fez assim, inesquecível... indo e vindo pelas ondas do mar... Um tempo que nao foi feito para ser destruído e nem aprisionado dentro de uma vida normal. Amor assim nao morre nem eh matado, eh cultuado... Saudade com sede de ser matada...   Discordarei de Renato Russo, o 'pra sempre' nao importa como, nunca acaba.

Nights In White Satin

Aquele dia naquela hora que voce sente falta de ouvir e resolve colocar a mesma musica, a de praxe, um milhão de vezes...

Romantica...


Alguém que traga nos olhos, o que te toca… e que te liberta para ser o que quer que seja. Alguém que seja o seu equilíbrio, a sua risada, o seu inverso, o seu sol =) 

Papo tao...rosa salmão

Deu-me a louca, dei um tempo no meu vermelho fatal e voltei do salão hoje com as unhas em rosa? na verdade, um salmão cintilante. Sinceramente, ainda nao sei se gostei de ver meus cotocos da mao centilando nesse tom, mas fica de experiência...rs

Blogosfera


 Alma Andarilha    AC. Lara_ Fotografias    Cultura Engrandece    

 ✿  Poesiando um Pouco  ✿  Dicas Casa, Cozinha e Etc... para Mulheres Modern@s  

  Equilibrio: Corpo e Mente   Blog da Yogini    Agente Eco  

   Une Touche de Lavande    Meán Fomhair   Tecõ: Paisagismo e Jardinagem  




09 outubro, 2013

Quem dera...

 Ah se eu pudesse... ainda estaria entre uma cidade do interior e outra, sem tempo e nem espaço para pensar em nada alem daquela imensidão de horizonte. Como passou rapido...
Como gosto de uma estrada.

Intencionada.

Aqueles momentos que voce se transforma em pura sexualidade...

Mais que mero ponto de vista


Nao eh por ser druidista, espiritualista, que nao vou ver com bons olhos outra fe, acredito que iria contra a minha. O preconceito por causa da ignorância perto do 'estarmos todos no mesmo barco', passa a ser tao... ridículo e de uma pequenez tao idiota. O que tem que estar acima de qualquer coisa, sao as questoes mais evolutivas e curativas tanto para o interior do ser humano, quanto para o planeta. Eu menosprezo gente fanática e substimo a mente de uma pessoa fanática...  nao existe argumentos convincentes para essas pessoas. Fanatismo eh o inverso de clareza mental.

O que nao me cola também, eh a hipocrisia de muitos, que pregam em nome de Jesus ou acendem vela pra Deus, mas que agem e pensam como o diabo. 
O Paganismo começou a ser apedrejado, a partir do momento que era preciso para o interesse de poder político e o de outras religiões. Muito inventou-se em torno disso do que eh ser pagão.

*Paganismo (do latim paganus, que significa "camponês", "rústico") nada a ver com cultos demoniacos, eh um termo geral, normalmente usado para se referir a quem considera que toda a Natureza eh sagrada- com seus deuses e deusas, oferecendo conforto e equilíbrio àqueles que 
compreendem o real significado de se respeitar a Natureza.

Hoje eh comum colher camomila para fazer um chá  para relaxar, se fosse em outros tempos, com certeza isso seria chamado de bruxaria, com direito a enforcamento ou morrer numa fogueira. Diga-se de passagem que os bens da vitima, nao iam para a fogueira, eram "requisitados".
Como curiosa nata e ressabiada, nao me basto em ouvir sem verificar e de preferencia, descartando fontes tendenciosas, as históricas aliadas as arqueológicas sao bem mais confiantes. Pois, o que mais tem no mundo da globalização eh conversa para 'boi dormir', um monte de 'papo furado' para levar trouxa na conversa e alimentar a ignorancia. 
Acho um absurdo certas religiões, semearem tantas mentiras, tantas bobagens equivocadas, tantas injustiças... e pessoas que acreditam em tudo as cegas, vao atras dessas baboseiras... como se nunca tivéssemos progredido dos tempos medievais, onde um idiota grita de tocha na mao e os outros babacas o seguem como se hipnotizados.... Eu mesma, ja ouvi tanta estapafúrdia de dar pena... merecedora de camisa de força...rss 
Muitos mal dizem por causa de quesitos primitivos, adulterados ou hipocritas. Nao, nao me isolo no meu proprio umbigo, mundo, cultura ou fe. 
Aprecio tudo que nao alimenta o odio, que traga amor e faça o bem.  Respeito e admiro tudo que venha abençoado, acrescentando as boas energias, afinal  quem eh do bem acaba se juntando numa força soh, somos todos 'uno', desejando o mesmo bem comum, que eh a preservação da vida e um mundo digno de amor e paz para todos esses seres.

07 outubro, 2013

Assim apenas.

Algo em mim gosta de se sentir soh... a sensação de que fico menos sozinha quando estou realmente soh...independente de qualquer coisa. Nao falo de me isolar, isso nao, pois me enlouqueceria...rs, mas me excita a vida de 'lobo(a) solitario (a)', de dar um tempo pra si e ver o que acontece. Caminhando na direçao do vento, seguindo meus proprios palpites, nao esperando mais do que eu mesma posso fazer por mim.  Vejo-me numa estrada com um horizonte infinito, iluminado com o nascer do sol e na qual um gavião voa, me mostrando a direçao.
Nunca me sentiria tao confortável e segura. Confiaria mais num gaviao... talvez por eu ter desprendido e desaprendido certas coisas. Nao coloco a minha felicidade nas maos de alguém. Ja foi o tempo em que eu preferia acreditar mais em alguem do que em meus proprios sonhos...
Quero isso, viver dos encontros  e reencontros da vida sem hora marcada e deixa-los fluir enquanto algo fizer sentido, por um ciclo ou por uma vida toda, quem sabe.

O prazer de se encantar com as pequenas coisas eh indescritível, mas o prazer de nao concordar em viver incoerentemente com o que sente, eh espetacular. 


01 outubro, 2013

Minha trilha sonora

Tem certas coisas ou pessoas, que a conexão nao se explica, apenas se sente algo bom dentro da gente. Com musica, isso funciona facil. Essa em especial, mexe comigo; na verdade, nascemos juntas rs...  =)
Chego a sentir falta quando nao a ouço muito tempo e ontem foi um desses dias...
Quando adolescente, a noite, gostava de me recostar e ouvir horas a fio, pensando na vida.Marcou nao somente um tempo como também o meu primeiro e verdadeiro amor... E, depois que a traduzi, entendi o porque ;) nada mais do que as 'minhas noites de cetim branco...'



Madrugada pensativa


E a madrugada tece pensamentos soltos, perdidos, deixados em algum lugar  e que voltam, sempre que a mente vaga , um deles me busca como serpente dando o bote com seu veneno. Entao tudo o que sei, nao sei se sei ou se deixei estar e esse veneno que ja me correu queimando a veia , hoje me imuniza e paro de pensar. Minha alma se acha se perdendo, nao eh pra ser entendida, apenas zelada e solta quem sabe, por entre as lembranças em que te conheci. Mas, que como toda lembrança e todo instante, passam e eu continuo aqui com a mente vaga, mas com a vida preenchida de mim. 

As melhores vitorias sao as sobre nos mesmos…serah?  digo que em muito me venci, mesmo quando perdi… mesmo quando assumi o que acreditava sem ao menos pestanejar que as crenças sao capazes de mudar. Ateh pessoas mudam da agua para o vinho ou do vinho para a agua … outras, ate para a agua que nao vale a pena beber. E as que deixamos  pelo caminho, fica o gosto agridoce na mente vaga. 
Basta! da ingrata certeza de que nao importa o quanto, mas a sensação de que nunca vivemos  algo o suficiente vai sempre restar em algum momento. Nada eh tao tedioso a ponto de durar do mesmo jeito pra sempre… e a vida, que eh feita de ciclos, nao comporta tal desperdício de tempo e de almas... 
Sou feita do que faço de mim e do que fiz. Sou feita de cada pessoa que cruzei, de cada amor que eu tive... Sou feita das injustiças que vi ou cometi, das mentiras que ouvi, das melhores coisas que senti. Nao fui feita pra coisa feita... nem tampouco sei mais de mim, mas sei ao que ou a quem nunca pertenci...
O nosso caminho tem a facilidade de ser feito de escolhas … agora, por exemplo, o melhor que faço eh  dormir.

21 setembro, 2013

Poucos, aconchegantes e verdadeiros

Quando olho pra alguem e sinto aquele bem enorme... quem sabe ateh vindo de outras vidas...  nao digo pelo fato de ser medium, mas por pura afinidade mesmo.
Nao busco serenidade, as vezes 'mares calmos escondem correntes duvidosas na profundidade', busco verdade e quanto mais energia boa melhor, nao importando os defeitos. Todos temos defeitos e antes defeitos distraidos ou magoados, do que os calculados, os que destroem. Sou chata pra amizade, me aturam muito, alem de toda estabanada, sou seriamente afetada...rss, mas conhecem meu coração e nao poem em duvida do quanto os amo, isso pra mim eh fundamental. E assim, vice -versa. Para fazer tambem sou chata, pois aprendi a confiar pouco, seleciono muito...
Bom, tenho sangue vira-lata e com isso, um jeitao meio tosco do sangue alagoano, o lado zen do sangue japones, a resistência do sangue negro e sem falar no lado 'caliente' do sangue espanhol, ou seja, dah para 'rolar' um equilibrio venoso, pelo menos no meu ponto de vista...rs Nao deve ser dificil lidar comigo, soh nao tira de letra quando nao tah na mesma sincronia energetica. Sou grata por ter queridos que me aceitam como sou e vice-versa, por continuarem sendo sempre meus amigos, nao importando tsunami e isso eh a maior prova que se tem. Pessoas responsaveis por aconchego de alma, que te jogam pra cima e nao suspeitam mal... lembrei-me do 'Corintios 13' agora.

Entao, como nao posso dar valor a estas pessoas?  Como posso eu, mesmo com motivos, desacreditar na raça humana?

Gatos por lebres e lebres por gatos...

Prefiro abrir mao de certas coisas pelo simples fato de nao estarem mais me dando prazer na vida.
Tem coisas que nao se precisa escutar, outras que nao se precisa dizer e outras ainda, que nao se precisa passar.  Soh me permito relevar se tiver bancando o pao da minha mesa, por questao de sobrevivencia e 'mermo' assim, se valer muiiiito a pena.
Nao gosto de ambientes, que estejam tomados de gente mordendo outra, jogando sujo desejando o lugar do outro, com inveja no sentido mal da palavra... 'urubuzando'... tal qual hienas de olho em carniça. Onde sem mais nem menos, se leva uma patada, um abraço de urso, sente um veneno daqui e outro dali... buscam arranhar sua imagem e pior fica, se tiver que lidar com burrice ...  Quer saber, gente assim nao devia estar solta devorando a sociedade, eh mais coerente colocar no zoologico.

19 setembro, 2013

FESQ

O Fesq , festival de esquetes, estah arrebentando. O teatro estah 'bombando' com lindas peças encenadas com grupos do Brasil inteiro aqui em Cabo Frio e tah muito bacana! Pra mim entao, tah saindo como um bom aprendizado. Ateh o dia 22 agora estou por lah firme e atenta ;)

07 setembro, 2013

Feriado com jeito de 'sei nao'

Tanto falou-se sobre o dia sete de setembro na internet... inúmeros protestos para este dia contra a corrupção e ateh uns mais afoitos apostaram num golpe militar... sem falar em quantos propagando para o Brasil parar e etc e tal; no entanto...
A coisa toda ficou apenas no virtual? alias, como tudo mais estah se tornando agora, vai ter um dia em que vamos nos dar conta que vivemos e sentimos dentro de um computador...rs , lembrei-me de 'Matrix'.

Agora, sobre o 'ir para rua', pode ser que eu esteja completamente errada, mas eh o que estah me parecendo, que se ninguem 'financia' por motivos escusos, ou 'manuseia' um protesto, ninguem se mexe? Oo... rs
Bom, pode ser que ainda esteja cedo, vamos esperar ateh o final do dia ;)

Xô daqui!

A gripe anda me rondando como mosca...
Agora dei pra isso, cai o tempo e caio junto; por causa disso, ando tendo que adotar algumas 'frescuras' (por céu, soh esse termo jah eh capaz de me adoecer..rs)
Antes, eu era 'pau pra toda obra', raramente adoecia... nem mesmo com as minhas loucuras como por exemplo, sair do chuveiro quente direto para o banho de chuva em noite fria, bastava vontade (ainda peco...rss ), mas jah eh sabido aqui que a ultima vez teve seu preço.

7 de setembro


Dia  frio, 
tranquilo
preguiçoso  
entorpecido

Dia retrazido
Dia de feriado
emancipado?
Dia do grito.
  _________________


  Torcendo para o solzinho endurido, que anda prometendo melhorar cara do dia; estah dando ateh vontade de me movimentar...rs apesar do ventinho frio...
Sinceramente, acho uma ironia sádica trabalhar como escravo no dia da independência Oo...rss Lembro-me da minha avó dizendo que antigamente se respeitava os domingos e feriados, por isso, a familia se via mais, que nao havia tanta ambição 'torta'.
Digo tudo isso, na verdade, repensando mais, em quantos apesar da lei, ainda trabalham sem carteira assinada, passando por essa clandestinamente e ainda nao ganhando o suficiente para viver com dignidade... Vivemos sob o efeito da exploração de uns sobre os outros e assim vai descendo a escada, onde se vai tirando cada qual, a sua vantagem.
Ainda tem os que sonham com um sistema 'pica das galaxias', em que uns trabalham mais para outros trabalharem menos se encostando mais...rss
Enquanto vagabundos ganham mais que pessoas honestas e alguns, que roubam ateh milhões, se tornam os tipos que ganham assistência, digo, conivência do governo.
Eh, passa-se a mao fácil na bunda da lei desse pais.
Ateh quando? 

05 setembro, 2013

Metrópoles - Paris ( Foto de Thiago Barros)

Da obra Metrópoles, produzida em Paris (2008). Durante a Photokina a obra foi exposta no espaço expositivo da empresa alemã, produtora de papeis, Hahnemühle.


Fonte:http://www.cultura.rj.gov.br/artigo-banco/metropoles-paris-na-photokina

Curtas

Semana de curtas na cidade =D




Papo de poesia

Nao sei porque tem pessoas que acham que para fazer poesia eh preciso tristeza,
que todo poeta eh triste ou sofredor. Para se fazer poesia, basta saber ver o amor.

No meu caso, me inspiro mais nas coisas boas da vida, penso que a vida por si soh, jah nos enche de momentos de apertos no coração que eh preciso se compensar de palavras refrescantes, ateh mesmo para quem escreve, um jeito de 'filtrar' ao inves de extravasar, comigo funciona melhor. Quando se extravasa, se realmente extravasa, passa um algo de rancor , sublinha uma pena de si mesmo... por isso, evito usar a poesia pra isso... Poema tem que ser liberto de dor, tem que ser uma viagem gostosa pra dentro de si, trazer uma saudade, um abraço, um acalanto e nao a sensação de estar lambendo feridas... Penso assim. Amo as que tem gosto de volta por cima, as com ares de infância, que lembram carinho de vó ou algo que seja muito bom pensar, com boas emoções.
Claro, que  julgo nada de ninguem e nem tenho degrau pra isso, eh apenas a minha opiniao pessoal e creio que muitos gostem sim de ler sobre corações arrancados, dilacerados ou que a vida eh uma desgraça .... deve ser um jeito de lidar com o que sente e eh isso o que importa.
Um ciclo que me inspira menos para escrever poesia eh o do verao, prefiro nas horas vagas dos dias bucolicos do inverno e nos de frescor das outras estacoes. O verao me acomoda na escrita, o papel restringe e fico preferindo viver a poesia, talvez seja isso.






27 agosto, 2013

Meu torpor em tempo 'xoxo'

Hoje o dia passou arrastado e acredito, que o tempo lah fora com cara de 'chove ou nao chove', tenha contribuido bastante. Tudo se torna um esboço inacabado e sem cor, como o céu lah fora. Irrito-me comigo mesma por mover-me a passos lentos, na verdade, nao gosto de dias indecisos. Que chova ou faça sol, o que me incomoda eh esse 'mimimi' bucolico. Mas acho que tempo 'xoxo', nubla o humor de muitos ou entorpece, assim como acontece comigo.
Dias assim me sao tediosos, nao sao temperados com atmosfera de algo bem vivido, tocando a alma da gente. Nao me traz vontade... nem mesmo aquelas boas lembranças inusitadas vindas de alguma brisa repetida,  de algum cheiro conhecido, de algo um dia sonhado... 
Para compensar o dia, soh me resta muito cafune, alem do meu livro ou quem sabe um filme, acompanhado de chocolate quente ou cha, depende do qual tatear primeiro no armario da cozinha.

Boa noite!



17 agosto, 2013

Identificando-me...


..."Sou capaz para o segredo, sou capaz para o irrecuperável, sou capaz para o silêncio, sou capaz para o medo, sou capaz para o bizarro. Minha incapacidade é para a frescura, para a fofoca, para a vaidade, para a seriedade que conferem ao que é irrelevante, e quase tudo é irrelevante, quase tudo que está à vista.

Sou capaz para o que não conheço e torno-me quase incapaz para o que conheço bem demais. 
...
E, quando preciso de solidão, sou capaz de me declarar inábil para tudo o mais, na esperança secreta de ser deixada em paz".

(Trecho da crônica "Ser capaz", de Marta Medeiros, em Montanha Russa)

07 agosto, 2013

A revista digital 'The Magazine' abordando sobre Fotojornalismo


                               Ver:  The Magazine, Issue III: Photojournalism
                               
                                                       
Web Analytics